O anúncio feito a 13 de agosto, por Israel de que ia dar luz verde para a construção de 942 novas casas para colonos judeus, na Cisjordânia pode impedir a participação daquele país num programa de investigação da UE que envolve muitos milhões de euros, escreve o EUobserver.

O anúncio foi feito na véspera do recomeço das negociações de paz, em Jerusalém. O EUobserver também salienta que a comunicação surgiu no momento em que funcionários israelitas e da UE tinham agendado um encontro em Telavive, em 14 de agosto, para discutir a já problemática participação de Israel no programa de investigação e inovação Horizon 2020.

Prevê-se que os delegados israelitas comuniquem à UE que as restrições que esta impôs no mês passado a empresas israelitas, obrigando-as a assinar cláusulas de territorialidade nos acordos de financiamento, são inaceitáveis.