Cover

A 27 de agosto, o tribunal de grande instância de Hanôver (Baixa-Saxónia) decidiu aceitar o pedido do procurador-geral e julgar o antigo Presidente da República, Christian Wulff (2010-2012), por tráfico de influências.

“Com Christian Wulff, é a primeira vez [na Alemanha] que um antigo Presidente vai a tribunal por ter solicitado vantagens pessoais”, escreve o Tagesspiegel.

A acusação diz que Wulff permitiu que o produtor de cinema David Groenewold pagasse parte das suas despesas de hotel e uma baby-sitter durante a sua visita à festa da cerveja de Munique, em 2008, quando era ministro-presidente da Baixa-Saxónia. Em troca, Wulff terá pedido à empresa Siemens um apoio financeiro para um filme produzido por Groenewold.

Wulff, que se demitiu em fevereiro de 2012, incorre numa multa e numa pena de prisão até três anos, escreve o diário.