A Suécia é o primeiro país da UE a conceder aos refugiados sírios direito de residência permanente, relata o Dagens Nyheter a 3 de setembro.

“Tendo em consideração que a situação na Síria se agravou, guiamo-nos pelo direito internacional, segundo o qual é necessário conceder direito de residência permanente quando se prevê que o conflito dure por tempo indeterminado”, explicou à rádio pública sueca Anders Danielsson, diretor do gabinete sueco para a imigração, relata este jornal.

Esta decisão implica que os oito mil refugiados sírios que estão atualmente na Suécia poderão aí ficar por um período indeterminado e que também terão o direito de mandar vir as suas famílias, explica o Dagens Nyheter. Até agora, dois milhões de sírios já fugiram do conflito no seu país.