Cover

O tribunal administrativo federal decidiu que as alunas muçulmanas não podem ser dispensadas das aulas de natação, noticia o Frankfurter Allgemeine Zeitung.

Os juízes de Leipzig indeferiram o pedido da família de uma rapariga de 13 anos, de Frankfurt, que se recusou a ir à piscina com a sua turma por razões religiosas.

O tribunal decidiu, no entanto, que o uso do “burkini”, uma combinação de peças de roupa que cobre o corpo e os cabelos, é aceitável porque, argumentou, representa “um compromisso entre o dever de educação do Estado e a liberdade religiosa”.