Cover

O recente ato de pirataria de que foram alvos os gabinetes do primeiro-ministro Elio di Rupo e do ministro dos Negócios Estrangeiros, Didier Reynders, divulgado a 20 de setembro pelo De Tijd, foi realizado por hackers chineses, adianta De Morgen.

O diário baseia-se num relatório confidencial dos serviços secretos belgas e cita um especialista da China, Jonathan Holslag. Este último explica que o ataque informático se deve ao interesse que as autoridades chinesas têm pela política belga, nomeadamente pela

estratégia de acordos comerciais internacionais […]. Bruxelas é um dos melhores locais para obter muitas informações [uma vez que] a Bélgica é um dos países onde há menos proteção em matéria de cibersegurança.

O jornal realça ainda que os serviços secretos suspeitam de piratas sedeados no Reino Unido que poderão estar na origem do recente ato de pirataria da Belgacom.