“Os partidos do Governo tiveram o pior resultado da sua história – os grandes vencedores do escrutínio estão à direita do centro”, escreve Der Standard após as eleições legislativas de 29 de setembro.

O partido social-democrata (SPÖ) do primeiro-ministro Werner Fayman obteve 26,6% dos votos e ultrapassou o Partido Popular Austríaco (ÖVP, 24%). Cada um deles perdeu mais de 2% em relação às eleições de 2008. Com um pouco mais de 50% dos votos, estão agora em condições de continuarem a sua grande coligação.

O partido populista e xenófobo FPÖ aparece em terceiro lugar com 21,4% dos votos, uma subida de quase 5% por comparação com 2008. Entram também no Parlamento o partido do multimilionário austro-canadiano Frank Stronach e o partido liberal Neos. O BZÖ, do defunto líder de extrema-direita Jörg Haider, não conseguiu mais do que 3,6% dos votos.

“Quando somamos todos esses votos, um terço dos austríacos votou num partido de direita populista, o que é único na Europa”, escreve com preocupação o diário Standard.