Cover

O belga François Englert, de 80 anos, da Universidade Livre de Bruxelas, e o britânico Peter Higgs, 84 anos, da Universidade de Edimburgo, receberam o prémio Nobel da Física 2013, a 8 de outubro, pela sua investigação sobre o bosão de Higgs.

Esta partícula, cuja existência foi confirmada em 2012 pelo Centro Europeu para a Investigação Nuclear (CERN) constituiu “a pedra angular da estrutura fundamental da matéria, a partícula elementar que explica […] porque é que certas partículas têm uma massa e outras não e, consequentemente, porque é que o Universo existe tal como o conhecemos”*, explica Le Soir.

Para o diário belga, o prémio

é fabulosamente importante por duas razões: consagra a investigação fundamental num país […] que cada vez mais considera que os orçamentos devem ser atribuídos aos investigadores que encontram e não àqueles que investigam. […] Consagra a complexidade e obriga-nos a não a evitarmos.