Cover

A 8 de outubro, o Governo sérvio adotou medidas de austeridade para responder à crise económica e recuperar a confiança das instituições financeiras internacionais e dos credores.

Os salários dos funcionários vão baixar entre 20 e 25% em função do seu nível de remuneração, o IVA sobre os produtos que não sejam de primeira necessidade vai passar de 8 para 10%, os subsídios às empresas públicas vão diminuir e o Governo vai aumentar a luta contra a economia paralela, “que ainda representa 31% da economia” do país, explica o Politika.

O ministro das Finanças, Lazar Krstic, justifica estas medidas com o nível excessivamente elevado do défice (previsto para 4,7% do PIB em 2013) e da dívida (60% do PIB) do Estado.