Cover

"Confiança está suspensa de sete votos", traz o Corriere della Sera em título, no momento em que o Parlamento se debruça sobre o futuro de Silvio Berlusconi: no dia 14 de dezembro, o Senado e a Câmara dos Deputados irão debruçar-se, respetivamente, sobre um voto de confiança apresentado pelo Governo e sobre uma moção de desconfiança apresentada pela oposição e subscrita pelo presidente da Assembleia e antigo aliado do Cavaliere, Gianfranco Fini. Se a primeira não deve trazer problemas a Berlusconi, que dispõe de uma confortável maioria, é menos provável que o primeiro-ministro venha a obter o voto dos 316 deputados de que necessita para a segunda. Ainda que, explica o Corriere, o Cavaliere tenha lançado uma campanha desenfreada para captar – corromper, segundo alguns – os deputados independentes ou da oposição. Para assegurar a sua presença no momento da votação, pediu-se aos deputados que “madruguem", para não ficarem bloqueados nas manifestações que deverão paralisar Roma nesse dia.