Cover

Os participantes na reunião do G20 de 5 de setembro, em São Petersburgo, receberam um “presente envenenado”, noticia La Stampa: um conjunto de drives USB que escondiam dispositivos de espionagem e estavam programadas para recolher dados de computadores e smartphones.

O alerta surgiu depois do presidente do Conselho Europeu, Herman Van Rompuy, ter pedido aos serviços secretos alemães que analisassem o presente. A investigação ainda está em curso e não se sabe se todos os participantes na reunião foram vítimas de espionagem.

O jornal La Stampa escreve que este caso surgiu numa altura em que estão ao rubro as tensões entre os Estados Unidos e a Rússia por causa da crise síria e seguiu-se à fuga do ex-funcionário da NSA, Edward Snowden, para Moscovo. O diário acrescenta que o escândalo do presente “marca o regresso oficial ao conflito entre os serviços secretos do mundo”.