O primeiro-ministro David Cameron defendeu que o Reino Unido tem de “dizer não” aos trabalhadores imigrantes do Leste da Europa e permitir aos jovens britânicos competirem com os imigrantes em melhores condições para um emprego, noticia The Daily Telegraph.

Num discurso para os funcionários de uma fábrica de automóveis em Cowley, perto de Oxford, Cameron disse que, em algumas fábricas do Reino Unido, mais de metade dos trabalhadores são de países como a Polónia e a Lituânia enquanto os jovens britânicos são “deixados para trás” e não partilham da prosperidade do país porque não conseguem competir com os trabalhadores estrangeiros.

O primeiro-ministro defendeu uma reforma da segurança social para encorajar as pessoas a trabalhar, um impulso na educação para que os britânicos tenham as qualificações necessárias e um limite à imigração.