Cover

O Fundo Monetário Internacional acredita que as medidas de austeridade tomadas até agora são suficientes para cumprir as metas do défice para este ano e para o próximo, mas antecipa mais cortes para 2015, escreve o Diário de Notícias.

Num relatório divulgado a 13 de novembro, a instituição diz que Portugal, em 2015, terá de reduzir ainda mais os salários e as pensões para conseguir um equilíbrio sustentável de pagamento das contas públicas.

O FMI acredita que a atividade económica portuguesa se manterá estável até ao fim de 2013, começando a recuperar gradualmente em 2014, mas avisa que ainda existem “riscos significativos” pela frente. Entre eles, a possibilidade de o Tribunal Constitucional rejeitar algumas medidas do orçamento do Estado para 2014.