Cover

“Uma visita histórica, milhares de milhões de euros em jogo”, anuncia o Jurnalul nacional.

Alguns dias após o fórum UE-China, que se realizou em Pequim a 21 de novembro, o primeiro-ministro chinês Li Keqiang encontra-se em Bucareste por ocasião do III Fórum Económico China-Europa Central e Oriental, no qual participam 16 países europeus”, refere o Jurnalul Naţional. Dia 25 de novembro, Li Keqiang assistiu à assinatura de 13 acordos comerciais com a Roménia, no setor “da energia, das infraestruturas, nuclear, termoelétrico, mas também dos transportes ferroviários, por um valor a rondar os oito mil milhões de euros”, regozija-se o diário romeno.

Após um encontro com os primeiro-ministros húngaro e sérvio, Viktor Orbán e Ivica Dačić, Li Keqiang anunciou igualmente que o seu país tinha chegado a acordo com a Hungria e a Sérvia para a modernização da linha de caminhos de ferro entre Budapeste e Belgrado, refere, por seu turno, o diário húngaro Magyar Hírlap. O valor do contrato não foi adiantado, mas Viktor Orbán sublinhou que a China prestava uma ajuda que a zona euro não estava em condições de prestar.

Esta cimeira entre a China e 16 países europeus ocorre num “contexto europeu pouco descontraído”, nota o Curs de guvernare. Segundo o site de informação romeno, Bruxelas pediu aos participantes desta cimeira “que não saíssem dos limites já negociados [em Pequim] pela UE”. Como explica ao Financial Times um diplomata europeu, “o encontro em Bucareste faz parte da estratégia chinesa de ‘dividir para reinar’, para acentuar a pressão sobre Bruxelas”.