A União Europeia e a Turquia concordaram em assinar um acordo para suprimir os vistos para os cidadãos turcos dentro de três anos. Em troca, Ancara aceitou acolher os imigrantes clandestinos que chegaram à UE através da Turquia. O acordo, “ao qual se chegou depois de dois anos de negociações difíceis”, prevê que as autoridades turcas possam “suspender a readmissão de imigrantes ilegais, caso a UE não aplique o processo de liberalização” dos vistos, adianta o Hürriyet. Na sua versão inglesa, o jornal acrescenta que o acordo deverá ser assinado no dia 16 de dezembro em Ancara e que

poderá ter uma influência positiva no processo de adesão da Turquia. É um passo em frente segundo o Süeddeutsche Zeitung que considera que

para muitos turcos, a livre circulação é mais importante do que a adesão à UE. Mas o preço que a Europa paga para esta liberdade é elevado: Ancara terá como missão tornar o caminho para a Europa mais complicado para os refugiados, uma vez que a Turquia é um país de transição para chegar à Europa. […] Se os cidadãos turcos precisam de visto hoje em dia para se deslocarem até à Alemanha, à França ou à Itália, não é para formar uma caravana entre a Anatólia Oriental e Berlim, Paris ou Roma. […] Quando os turcos viajam, fazem-no enquanto turistas, com um cartão de crédito e como empresários em classe executiva.