Cover

"A Bélgica não está assim tão mal", assegura Herman Van Rompuy na primeira página do diário Le Soir. Seis meses após as eleições legislativas sem que os partidos vencedores tenham chegado a um acordo de governo, e apesar das "semanas denegociações*, tensões, esperança e desânimo",* o jornal sugere que se adote a "atitude Van Rompuy": contrariamente aos principais solistas da cena política belga, o presidente do Conselho Europeu, "o pouco que diz é de ouro". Foi ainda "um dos trunfos" que permitiram que a Bélgica levasse a cabo, com êxito, a sua presidência da União Europeia. "A crise política belga fez alguém feliz: a Europa!", escreve Le Soir. Condicionado nos assuntos correntes no plano interno, o Governo de Yves Leterme foi capaz de se dedicar inteiramente às questões europeias e "despachar em seis meses um volume de trabalho considerável".