O controverso plano do governo britânico de, em 2013, tornar obrigatório o Bilhete de Identidade foi “aniquilado”, refere The Independent – no Reino Unido não é obrigatório ter BI. Alan Johnson, novo ministro do Interior, assegurou que esta medida, inicialmente pensada para combater o terrorismo, a imigração ilegal e a grande criminalidade, continuará a ser “inteiramente voluntária para os cidadãos britânicos”. Esta cedência surge na sequência dos ataques do líder conservador, David Cameron, que promete pôr de lado a medida caso seja eleito, e das “tensões” dentro do próprio Governo, refere o diário londrino. A oposição ao plano centrou-se muito menos na violação das liberdades cívicas do que no custo, estimado em 5 mil milhões de libras esterlinas. Grupos pelas liberdades cívicas referem, no entanto, que a identidade dos cidadãos britânicos que viajarem para o estrangeiro passará a ficar imediatamente registada ao renovarem o passaporte. Para um desses grupos, o registo dos cidadãos “só é voluntário no sentido em que podemos ‘optar’ por nunca ter um passaporte”.