Cover

Preocupada com o assalto às suas instituições em 2007, a Estónia criou um exército cibernético de voluntários. A Liga de Defesa Cibernética (CDL) protegerá o país dessas ameaças no futuro, noticia o Rzeczpospolita na primeira página. Sendo o primeiro exército desta natureza no mundo, o CDL pertence à Liga de Defesa Total paramilitar da Estónia e, em caso de ataque, ficará sob comando militar. Neste momento, é composto por 80 especialistas e engenheiros de Informática, que se reúnem uma vez por semana para pôr em prática uma defesa a um ataque simulado. Líder no acesso à internet, a Estónia “foi o primeiro país do mundo a ter votação pela Internet em eleições legislativas. É por isso que um novo ataque cibernético pode paralisar o país”, como afirmou ao jornal Vahur Made, membro da Academia Diplomática da Estónia.