Cover

Os ministros dos Negócios Estrangeiros da UE, reunidos em Bruxelas no dia 23 de julho, pediram à Comissão Europeia que prepare sanções económicas mais duras contra a Rússia após o voo MH17 da Malaysia Airlines ter sido abatido enquanto sobrevoava a zona controlada pelas milícias pró-russas, no este da Ucrânia, no passado dia 17 de julho, informa o Gazeta Wyborcza.

As sanções deverão envolver o setor da defesa, o acesso da Rússia aos mercados financeiros da UE e a tecnologia avançada, incluindo o setor energético.

A UE está a trabalhar nas sanções económicas contra a Rússia desde março, mas agora “a ira dos europeus fez com que muitos países da UE adotassem uma posição mais dura para com Putin”, observa o diário, citando o ministro polaco dos Negócios Estrangeiros, Radoslaw Sikorski, que afirmou na passada terça-feira que “a Rússia tinha pisado muitos limites vermelhos” e que:

se o plano de sanções já estivesse pronto, e se dependesse dos ministros dos Negócios Estrangeiros da UE, penso que as sanções teriam sido impostas hoje mesmo.