Cover

A crise na Rússia e na Ucrânia começa a ter um impacto negativo nos negócios da zona euro e para além desta, escreve o Financial Times numa altura em que as sanções impostas pela União Europeia à Rússia, nomeadamente nos sectores energético e financeiro, entram em vigor.

A Adidas, a Volkswagen e a Metro registaram quedas nas suas ações e vendas diretamente associadas à redução da atividade na Rússia, enquanto a Siemens já alertou que a crise traz “sérios riscos” para o crescimento da Europa em 2014 e 2015. Os credores, os grupos industriais e as companhias petrolíferas na Europa também já anunciaram as consequências negativas nas previsões de crescimento, comércio e lucros.

Algumas empresas ainda estão a avaliar as novas sanções antes de se pronunciarem definitivamente. O diário cita, nomeadamente, o diretor executivo da Royal Dutch Shell, que segundo o qual

era demasiado cedo para prevermos o que vai acontecer, quais serão as consequências e como iremos reagir.