Cover

“Agricultores, mineiros, doentes, veteranos, estudantes, pensionistas e famílias – todos eles poderão contar com o apoio do gabinete de Ewa Kopacz”, escreve o Rzeczpospolita no dia seguinte à nova primeira-ministra, que assumiu funções após a nomeação de Donald Tusk para a posição de presidente do Conselho Europeu, ter apresentado a sua estratégia de política geral no Sejm (Parlamento).

Na sua breve intervenção, Kopacz promete nomeadamente uma reforma do sistema fiscal e das leis sobre as empresas, a instauração de uma garantia de licença parental para os desempregados, uma nova lei para apoiar as empresas afetadas pelo embargo russo, a continuação do programa de ajuda concedido à Ucrânia e o aumento das despesas militares para 2% do PIB.

No entanto, o diário lamenta que

ao ouvir a primeira-ministra ontem, tenhamos ficado com a sensação de que os interesses particulares de diferentes grupos sociais se tornaram mais importantes que a criação de um objetivo comum para construir uma sociedade civil próspera.

Após o discurso, o Parlamento deu o seu voto de confiança ao novo Governo com 259 a favor e 183 contra.