Cover

Os investidores chineses chegaram à Europa no pico da crise da dívida soberana, escreve o The Financial Times. Segundo uma investigação do diário londrino, os investimentos diretos chineses na Europa passaram de 6,1 mil milhões de euros em 2010 para cerca de 27 mil milhões de euros no final de 2012.

Esta transformação do modelo de investimento chinês no estrangeiro” baseou-se na compra de ativos baratos “em alguns países mais afetados da periferia da zona euro”, escreve o diário.

Para o Financial Times esta tendência revela

a estratégia dos investidores chineses e dos imigrantes que participam num esforço nacional – a política do “going out” (expansão para o estrangeiro) implementada em 1999 – para encontrar novos mercados e reforçar a economia chinesa. […] Os analistas do continente observam a formação de contratos robustos e de sinais, segundo os quais o investimento irá aumentar de forma significativa esta década.