Cover

O Governo alemão aprovou, no dia 3 de dezembro um novo plano para reduzir as emissões de carbono com o objetivo de atingir os seus objetivos – uma redução de 40 por cento das emissões até 2020 em comparação ao níveis de 1990 –, informa o Die Tageszeitung. A União Europeia pretende atingir esse mesmo objetivo em 2030.

O plano, considerado “o mais vasto pacote sobre o clima alguma vez proposto por um Governo” pela ministra do ambiente alemã Barbara Hendricks, prevê um investimento de 80 mil milhões de euros, observa o diário de Berlim. O plano inclui ainda a redução das emissões das centrais elétricas a carvão em, pelo menos, 22 milhões de toneladas (que equivale ao encerramento de oito centrais), que se juntaria aos “18 milhões de toneladas provenientes da indústria, que se deverão, sobretudo, ao aumento da eficiência. São também previstas reduções noutras indústrias: construção (6-10 milhões de toneladas), sector dos transportes (7-10 milhões de toneladas), agricultura (3,6 milhões de toneladas) e sector comercial e de gestão de resíduos (3-8 milhões de toneladas)”. Também foram anunciados incentivos para os carros elétricos.

Embora as organizações ambientais tenham recebido este anúncio como um passo positivo, estas criticaram o Governo por não ir mais além e reduzir a sua dependência nas centrais alimentadas a carvão.