Por Lorenzo Ferrari.

No dia 27 de maio, a Comissão Europeia apresentou o seu plano de atribuição de quotas para distribuir de forma equitativa 40 mil requerentes de asilo pelos países da União Europeia até 2016. Atualmente, a distribuição não é homogénea e os pedidos são analisados pelos países de admissão dos requerentes.

O mapa mostra o resultado de um estudo realizado por Daniel Thym da Universidade de Constança. Thym simulou uma distribuição equitativa dos refugiados pelos diferentes países europeus, utilizando os mesmos critérios de repartição aplicados na Alemanha para os distribuir pelos diferentes Länder (Estados), que se baseiam na população (um terço) e no nível de vida (dois terços).

Esta repartição ideal dos refugiados é comparada com os dados reais sobre a concessão de asilo (em 2013, os dados de 2014 encontram-se aqui). A coluna escura indica os dados reais relativamente a 2013 e a mais clara indica os dados ideais. Os países a verde são os que, segundo esta comparação, alojam mais refugiados do que deviam, enquanto os países a roxo são os que alojam menos refugiados. Entre os países mais virtuosos encontram-se a Suécia e a Áustria, mas também a Hungria e a Bulgária.