Por Lorenzo Ferrari.

Na quinta e na sexta-feira, dias 25 e 26 de junho, os chefes de Estado e de Governo da UE reúnem-se em Bruxelas para uma cimeira parcialmente dedicada à imigração. Desde o início do ano, 100 mil pessoas entraram na Europa através do Mediterrâneo e da Turquia. O princípio da distribuição por quotas por cada país, proposta pela Comissão Europeia, foi fortemente contestado por alguns Estados.

Desde 2000, mais de 29 mil imigrantes morreram enquanto tentavam chegar à Europa. Os dados e as histórias destas pessoas foram recolhidos de forma sistemática pelo projeto jornalístico europeu The Migrants' Files. Baseando-se nos dados recolhidos por esta organização, a agência jornalística Journalism++ criou este mapa interativo, que mostra onde ocorreram os incidentes mais fatais ao longo dos últimos 15 anos onde imigrantes perderam a vida. Quanto maior o círculo, maior o número de mortos.

A região europeia onde se concentra o maior número de mortes é no Canal da Sicília. Também ocorreram muitas tragédias perto da costa espanhola (Canárias e perto do Estreito de Gibraltar) e na Grécia. A maioria dos incidentes ocorreu em alto mar ou junto à costa.