Cover

"Desmantelada célula adormecida da ETA", titula El Correo, no dia a seguir à detenção em Bilbao e noutras cidades de Biscaia de quatro presumíveis membros da organização terrorista basca, suspeita de estar implicada no homicídio do inspetor de polícia, Eduardo Puelles, em 2009. Nesta operação, a Guardia Civil confiscou igualmente 200 kg de explosivos. O diário basco sublinha que estas detenções confirmam a natureza precária da trégua "permanente, geral e verificável" declarada pela ETA em janeiro de 2011 e são "um sinal de alerta que a sociedade não deve ignorar". Esta "ameaça tão latente interpela diretamente a esquerda abertzale" (independentista), cujo silêncio é denunciado por El Correo, porque "faz crescer as dúvidas e a desconfiança" da opinião pública e mina a sua credibilidade a umas semanas das eleições municipais de 22 de maio.