Cover

A alguns dias das eleições municipais, Marine Le Pen deslocou-se em campanha a Lampedusa, a ilha italiana ao largo da Tunísia onde desembarca a maior parte dos imigrantes originários do Norte de África. Acompanhada pelo deputado europeu da Liga do Norte (regionalista) Mario Borghezio, a dirigente da Frente Nacional visitou um centro de acolhimento onde se encontram vários milhares de clandestinos, aos quais declarou, segundo La Repubblica: "a Europa não tem capacidade para vos receber”. Contudo, os habitantes da ilha não gostaram da visita dos dois políticos xenófobos e organizaram uma manifestação em que proclamaram que "Lampedusa não é racista". Entretanto, 1600 pessoas desembarcaram na ilha desde o começo da semana. O jornal adianta que a Marinha italiana enviou uma vedeta para impedir a entrada nas águas territoriais de uma embarcação proveniente da Líbia, que trazia a bordo 1800 marroquinos, e que não há notícias de um barco ligeiro que transportava 40 outras pessoas.