Cover

“A presidência ainda está em fraldas”, titula oDziennik Gazeta Prawna, que lamenta os atrasos nos preparativos para a presidência polaca na UE que começa dentro de 100 dias (no dia 1 de julho). O ministro dos Negócios Estrangeiros não escolheu uma empresa responsável para organizar todas as conferências, nem completou a recruta de tradutores, oficiais de ligação, logísticos e especialistas em protocolos diplomáticos. Além disso, o plano para o transporte de dez mil oficiais da UE que virão à Polónia, assim como o sistema de segurança ainda não estão prontos. “Quando a Bélgica, a França ou a Suécia se estavam a preparar para as suas presidências, todos os aspetos técnicos tinham sido organizados seis meses antes da “hora zero”, diz o cientista político Grzegorz Kostrzewa-Zorbas, referido no diário. Apesar do ministro dos Negócios Estrangeiros estar confiante de que tudo estará pronto para o dia 1 de julho, isto poderá não ser assim tão fácil, previne o DGP. De acordo com um relatório recente do Supreme Audit Office (NIK), no último ano, o ministro mudou cerca de 30% dos oficiais responsáveis pelos preparativos para a presidência.