Cover

“Quem quer um computador?”, ironiza o Gazeta Wyborcza. Na primeira página, o diário polaco transmite um plano do Governo em fornecer computadores a todos os alunos do 1º. ano das escolas primárias (estima-se que entrarão 350 mil para a escola em setembro). O projeto que tem como objetivo “equilibrar as oportunidades educacionais para crianças em pequenas cidades e aldeias e prevenir a exclusão digital” poderá custar tanto como mil milhões de zlotys (aproximadamente 250 milhões de euros). O plano anterior, anunciado em 2008 pelo primeiro-ministro Donald Tusk, prometia a “revolução computacional” e um computador para cada aluno do ensino secundário, mas logo após ter sido lançado, o projeto foi cancelado pela crise económica mundial. O diário questiona se a nova iniciativa terá o mesmo destino, e observa que, neste momento, uma quantidade significativa de fundos provirá de fornecedores de telemóveis que terão de pagar ao estado cerca de 900 milhões de euros por taxas das licenças 3G até 2020. No entanto, a estimativa do ministro das Infraestruturas polaco indica que cerca de 90% das famílias com crianças na escola têm pelo menos um computador em casa. “Talvez por isso, o principal problema não seja a falta de computadores, mas sim a falta de acesso à Internet”, conclui o diário de Varsóvia.