Cover

“Sejam humanos”, afirma II Manifesto, repetindo a frase que o ativista pró-palestiniano Vittorio Arrigoni utilizava para assinar os seus blogues. Arrigoni, de 36 anos, foi feito refém na Faixa de Gaza no dia 14 de abril por um grupo de radicais salafistas – islamitas em conflito com o Hamas. O corpo foi encontrado pendurado numa casa na Cidade de Gaza. O grupo ameaçou executar o ativista se o Hamas não libertasse o seu líder da prisão. Foi colocado um vídeo de Arrigoni no Youtube onde se encontrava evidentemente espancado e com uma fita preta a tapar os olhos. O diário comunista, para o qual Arrigoni escrevia, relembra que ele fora o único italiano em Gaza durante a campanha de bombardeamento Operação “Chumbo Endurecido” em Israel, no ano de 2008. “Vittorini Arrigoni não merecia ter sido usado como meio de negociação, ele sempre acreditou na dignidade de cada indivíduo, em qualquer parte do mundo, começando pelos palestinianos. Só podemos fazer com que os captores tenham a sua exortação perpétua.”