“Linha ferroviária aproxima Moscovo de Paris”: o Gazeta Wyborca aplaude o plano de abertura da nova linha ferroviária que ligará Moscovo e Berlim, através da Polónia, com perspetivas de alargamento até Paris no próximo ano. O lançamento oficial do projeto está previsto para junho no Terceiro Fórum das Regiões da Rússia e da Polónia que se realizará na capital russa. Os caminhos-de-ferro da Rússia (RZD) têm o objetivo de encurtar a viagem para Berlim (atualmente cerca de 27 horas) em duas horas até ao fim deste ano e em outras oito em 2013, quando uma linha de alta velocidade ligar Moscovo a Berlim. O encurtamento do tempo de viagem será possível também devido aos novos sistemas espanhóis de mudança de bitola automáticos (agora são necessárias quase duas horas para mudar as linhas dos caminhos-de-ferro europeias para as russas, na fronteira entre a Polónia e a Bielorrússia).

Enquanto isso, as ferrovias do Estado polaco (PKP) esperam juntar-se ao projeto russo, embora os oficiais afirmem que não houve conversas sobre o assunto. Entretanto, o Gazeta Wyborcza questiona-se acerca do “sentido económico” das novas ligações ferroviárias, acentuando o facto de que, segundo as estimativas, “a linha poderia ser competitiva em distâncias superiores a 750 km” (uma vez que em lanços maiores os aviões continuam a ser a opção mais barata). A distância entre Moscovo e Berlim é de cerca de 1600 km. Portanto, são necessárias mais razões que justifiquem as novas ligações ferroviárias com o Ocidente. “Os russos querem mostrar que têm dinheiro e que não têm medo de investir na infraestrutura”, explica Adrian Furgalski, diretor do fórum de negócios da linha ferroviária.