Cover

"ETA informa os empresários da anulação do 'imposto revolucionário'." É com esta frase neutra que o diário Gara, próximo da esquerda independentista basca, anuncia o fim do sistema de extorsão que a ETA usou durante anos contra os empresários bascos, sob pena de sequestro ou assassinato. O grupo terrorista fez esta comunicação em 28 de abril, numa carta dirigida às organizações patronais bascas e de Navarra. No seu editorial, o Gara saúda esta "grande decisão com vista a um melhor investimento", que classifica como "mais um exemplo da vontade evidente" da ETA de pôr termo ao "ciclo armado da política basca". O contexto, não explicitado, relaciona-se com as eleições municipais de 22 de maio, às quais os independentistas pretendem concorrer no quadro da coligação Bildu, cujos candidatos terão ainda de ser autorizados pela Justiça. Por seu turno, o diário basco El Correo recorda que a extorsão foi "uma das provas mais eloquentes da natureza perversa" da ETA. "A boa notícia só ficará completa no dia em que a organização terrorista desaparecer para sempre", acrescenta.