Cover

É com este título sombrio de “nova luz sobre as origens de Bergman" que o Dagens Nyheter revela uma informação que sacudiu o mundo cultural sueco. Segundo estudos de ADN, “a mãe de Ingmar Bergman, Karin Bergman não era de maneira nenhuma a sua mãe biológica”, escreve o diário, que acrescenta que “estas informações apoiam a tese que defende que Bergman era filho de uma outra mulher e que foi trocado por outro bebé”. Ao ler um livro que levantava esta hipótese, Veronica Ralston, sobrinha do realizador que morreu em 2007, pediu esses testes. Segundo ela, Karin Bergman estava muito doente quando teve o filho e, por isso, não se sabe se a criança sobreviveu. O pai de Bergman teria então colocado no lugar desse bebé um outro filho, fruto de uma relação com outra mulher. “Se estas informações forem verdadeiras vão deitar uma nova luz sobre a filmografia de Bergman” em que a mãe tem um lugar central, escreve um cronista do Dagens Nyheter que pergunta, também “como é que o escritor Henning Mankell vai tratar este assunto na série de televisão que está a escrever sobre a vida de Bergman".