Os números ontem divulgados pelo Eurostat, o gabinete de estatística da UE, confirmam que a União Europeia passou a barreira dos 500 milhões de habitantes, colocando-se assim em terceiro lugar na hierarquia das "potências" demográficas, a seguir à China e à Índia. O diário El Periódico sublinha que o facto se deve *"principalmente ao aumento do número de nascimentos e à chegada de imigrantes**"*. Em 1 de Janeiro de 2009, viviam na UE 499,8 milhões de pessoas. Todos os países registaram uma evolução semelhante, situando-se a Alemanha e a Espanha em extremos opostos.

O mesmo jornal acrescenta que *"os espanhóis e os alemães não poderiam ter tido um comportamento demográfico mais diferente**"*. Com cerca de 46 milhões de habitantes, a Espanha terá sido o país que mais contribuiu para o aumento do número de residentes europeus, ao passo que, na Alemanha, a população sofreu uma descida de 200 000 habitantes (82 milhões no total).