Cover

O euro está "numa encruzilhada", diz o título do editorial do diário La Vanguardia, um dia depois da conferência de imprensa do governador do Banco Central Europeu (BCE), Jean-Claude Trichet, que deveria ter tranquilizado os mercados mas que foi "dececionante". Perante a "ausência de determinação e a falta de unanimidade" no seio do BCE quanto à compra de títulos da dívida pública da Espanha e da Itália, países que se encontram na mira dos especuladores, os mercados tiveram uma reação negativa, provocando uma nova queda das Bolsas europeias.

Segundo este diário de Barcelona, Trichet colocou contudo um "problema de fundo: a governação do euro requer um sistema político e institucional mais ágil e eficaz". O La Vanguardia denuncia o atraso dos 17 Parlamentos nacionais da zona euro na aprovação dos acordos da última cimeira da UE, o que deixou o BCE "sozinho perante o perigo". O resultado deste "braço de ferro institucional pode já ter tido graves consequências económicas", acrescenta o diário, para o qual "a UE deve reagir imediatamente, para controlar o perigoso clima de desconfiança", porque o euro "se encontra novamente numa encruzilhada".