Cover

Aníbal Cavaco Silva, presidente da República, vetou a nova versão do projecto-lei que reconhece aos casais – hetero ou homossexuais – que vivem em união de facto direitos idênticos aos das pessoas casadas. Segundo o Chefe de Estado, citado pelo Público "a equiparação do regime jurídico das uniões de facto ao regime do casamento pode redundar, afinal, na compressão de um espaço de liberdade de escolha", lê-se no texto enviado ao Parlamento. Para além disso, afirma, "não foi suficientemente discutida uma matéria que gera naturalmente grande controvérsia", agora que a legislatura se aproxima do fim. Com efeito, os portugueses vão às urnas no próximo dia 27 de Setembro, para eleger um novo parlamento, e a nova assembleia irá certamente ocupar-se desta questão. Apresentada pelo Partido Socialista do primeiro-ministro José Sócrates, esta matéria estará no centro do debate eleitoral.