"A Polónia conseguiu", lemos no começo de um editorial da Gazeta Wyborcza. é o título do editorial da Gazeta Wyborcza. Para Jacek Pawlicki, colunista deste jornal diário de Varsóvia, os sucessos mais importantes da presidência polaca incluem "o acordo sobre uma patente comunitária única e a assinatura do tratado de adesão com a Croácia", enquanto o seu maior fracasso foi o colapso da política da UE para o Oriente – como evidenciado pela impotência da Polónia em relação ao regime de Lukashenko na Bielorrússia e o julgamento mediático de Yulia Tymoshenko na Ucrânia. Mas a Polónia fez um bom trabalho como -

Cover

... um dos últimos guardiões da União da Comunidade Europeia em declínio. A crise expôs uma clivagem na Europa e a mudança [do continente] para aquilo a que oficialmente se chama "união intergovernamental ", e que na verdade pressagia um regresso à prioridade dos interesses nacionais sobre o interesse comum europeu. [...] Os seis meses da presidência polaca do Conselho Europeu podem ter sido o período mais difícil na história do projeto devido à crise da zona euro. Não houve alaridos, mas também não houve qualquer deslize. – Gazeta Wyborcza

Para o Igor Janke, comentador do diário conservador Rzeczpospolita, esta tem sido uma "presidência de fachada", com o centro de decisão fora do país que exerce a Presidência, e fora do Conselho da União Europeia, da Comissão Europeia ou do Parlamento Europeu, mas nas duas capitais – Berlim e Paris:

Cover

Já sabemos que durante meio ano, que a Polónia foi um centro de congressos que realiza um grande número de conferências, negociações e reuniões. Fizemos muito trabalho de escritório, bastante trabalho relacionado com o tema, mas que teve pouco que ver com a governação real. – Rzeczpospolita

Um editorial do Dziennik Gazeta Prawna considera que o Governo polaco -

Cover

...revitalizou o ambiente em torno da Presidência. Desnecessariamente. Não faz sentido suscitar grandes expectativas em torno de uma função que, por definição, é desprovida de qualquer encanto. [...] Apenas um exemplo para aqueles que ingenuamente acreditam que a Polónia tem sido o centro da UE durante este semestre – na sexta-feira passada, as principais cadeias de televisão mundiais estavam a transmitir a conferência de imprensa conjunta de Tusk, Barroso e Rompuy [.. .] até ao momento em que Angela Merkel deu início à sua reunião com os orgãos de comunicação social. [Nesse momento], até o irritante e demasiadamente euro-entusiasta Euronews saltou de Tusk-Barroso-Rompuy para Merkel. – Dziennik Gazeta Prawna