O presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi, deverá anunciar na quinta-feira as grandes linhas do plano destinado a aliviar a pressão sobre as dívidas espanhola e italiana. Berlim, Paris, Madrid e Roma negoceiam atualmente as medidas que poderão ser tomadas. Os Estados Unidos e a Alemanha declararam já que apoiam as reformas em que o Governo espanhol está empenhado.

Cover

Governo ultima com Merkel e com BCE a ajuda a Espanha – La Razón

Os Estados membros da zona euro encaram a possibilidade de autorizarem o Banco Central Europeu (BCE) a conceder créditos ilimitados ao Mecanismo Europeu de Estabilidade (MEE) para a compra de obrigações dos Estados endividados, noticia o diário de Munique. França, Itália e também vários membros de altos cargos do BCE apoiam esta solução. A Alemanha e o Bundesbank opõem-se. O plano ameaça a estabilidade da coligação da chanceler Angela Merkel, porque cada vez mais os deputados se opõem a qualquer implicação financeira suplementar por parte da Alemanha.

Cover

Euro-escudo sem limites – Süddeutsche Zeitung

Durante o referendo de 29 de julho sobre a destituição do presidente Băsescu, a Roménia ficou cortada em duas. O Sul participou em massa na votação, enquanto a Transilvânia e o Norte do país se abstiveram maioritariamente. A nível nacional a taxa de participação foi inferior a 50%, o que invalida o referendo e permite a Băsescu continuar no poder.

Cover

O presidente do Norte – Adevărul

No meio dos rumores sobre as eleições antecipadas, em vez do escrutínio previsto para abril de 2013, o Presidente Giorgio Napolitano pede aos partidos políticos italianos que primeiro cheguem a acordo sobre a lei eleitoral. O atual sistema assenta sobre um complexo modo de escrutínio proporcional e de listas de partidos, mas o Chefe de Estado considera que são essenciais novas regras para a credibilidade internacional da Itália e para garantir a estabilidade de futuros governos.

Cover

“Eleições antecipadas? Sou eu que decido!” – La Stampa

Depois de várias semanas de polémica, durante as quais o Governo pareceu opor-se à sua nomeação, Lenka Bradáčová foi nomeada procuradora-geral de Praga. Conhecida por ter trazido à luz do dia um escândalo de corrupção que envolveu o governador da Boémia Central, David Rath, atualmente preso, Bradáčová é considerada uma pessoa integra capaz de garantir a independência dos procuradores em relação ao executivo. A sua nomeação será suficiente para “descongelar” outros grandes escândalos de corrupção?, pergunta o jornal.

Cover

Finalmente, Bradáčová torna-se procuradora-geral – Hospodářské noviny

Os Jogos Olímpicos criam um efeito ‘cidade fantasma’ no centro de Londres. Os visitantes deixam vazios os hotéis, lojas e teatros da capital, semeado a dúvida quanto à esperança de um efeito estimulante dos Jogos, a curto prazo, na economia. As Olimpíadas atraíram a Londres quase 100 mil visitantes estrangeiros, ou seja, mais turistas do que em quaisquer outros Jogos Olímpicos anteriores. Mas, em termos absolutos, esse número fica muito abaixo dos 300 mil turistas estrangeiros esperados em período normal.

Cover

Jogos Olímpicos transformam Londres em ‘cidade fantasma’ – Financial Times

O Governo de Robert Fico encara a possibilidade de suprimir os concursos públicos para contratos superiores a 10 milhões de euros, com o pretexto de ganhar tempo. Esta medida é criticada porque pode constituir um entrave à concorrência no mercado interno, especialmente no que diz respeito a grandes obras como as centrais nucleares.

Cover

Estado quer atribuir grandes contratos diretamente – Hospodárske Noviny