“A difícil operação de resgate do Concordia”

Publicado em 17 Setembro 2013 às 11:00

Cover

Após um processo de 19 horas marcado por atrasos e problemas técnicos, as sirenes do porto de Il Giglio tocaram às quatro da manhã para anunciar que o cruzeiro de 289 metros de cumprimento, deitado na costa da ilha desde janeiro de 2012, estava finalmente endireitado, adianta o Corriere della Sera.

Um dos motivos desta celebração reside no facto de que, até à data, nenhuma substância poluente se libertou do casco enferrujado do Costa Concordia, algo que se temia inicialmente.

Mas a pequena ilha deverá continuar a viver com os destroços do navio até pelo menos à próxima primavera, data em que será rebocado e desmantelado. Os portos de Piombino, de Civitavecchia, de Nápoles e de Palermo estão a travar uma violenta batalha para conseguir este contrato de vários milhões euros.

É uma organização jornalística, uma empresa, uma associação ou uma fundação? Consulte os nossos serviços editoriais e de tradução por medida.

Apoie o jornalismo europeu independente.

A democracia europeia precisa de meios de comunicação social independentes. O Voxeurop precisa de si. Junte-se à nossa comunidade!

Sobre o mesmo tópico