Assassinato de Boris Nemtsov

“Sobre a morte da política”

Publicado em 2 Março 2015 às 12:50

Cover

Vários milhares de pessoas (50 mil segundo os organizadores e 20 mil segundo a polícia) manifestaram-se em Moscovo, no dia 1 de março, em homenagem ao opositor Boris Nemtsov, assassinado na sexta-feira por desconhecidos nas proximidades da Praça Vermelha, no coração da capital.
Enquanto os seus partidários falam de um “assassinato político”, as autoridades russas evocam uma “provocação” com a finalidade de “destabilizar” o país e os seus atuais dirigentes. A investigação foi entregue ao Comité de Investigações da Federação Russa, um gabinete sob a autoridade direta do Kremlin responsável por crimes e delitos mais graves ou sensíveis.
O Kommersant observa também que

a imagem da Rússia no estrangeiro, mas também e sob vários aspetos, as perspetivas de melhoria das relações com o ocidente, estão dependentes da eficácia e da transparência da investigação criminal das autoridades russas. […] Isto também acrescenta mais um elemento negativo – a questão dos direitos humanos e das liberdades democráticas – no âmbito de relações já bastante pesadas […] Além disso, enquanto na sequência dos acordos de Minsk, os Estados Unidos e a UE ainda não chegaram a uma decisão final sobre o reforço das sanções contra a Rússia, o assassinato de Nemtsov (se a investigação for vista como inadequada pelos ocidentais) poderia constituir um argumento de peso para os partidários da linha dura face a Moscovo.

É uma organização jornalística, uma empresa, uma associação ou uma fundação? Consulte os nossos serviços editoriais e de tradução por medida.

Apoie o jornalismo europeu independente.

A democracia europeia precisa de meios de comunicação social independentes. O Voxeurop precisa de si. Junte-se à nossa comunidade!

Sobre o mesmo tópico