Alimentação

A Europa “em estado de emergência nuclear”

Publicado em 31 Março 2011 às 11:08

Após a catástrofe na central nuclear japonesa de Fukushima e o medo de uma contaminação dos alimentos provenientes do Japão, a Comissão Europeia decidiu elevar por três meses os valores limite das matérias radioativas presentes nos alimentos importados pela UE, informa o Süddeutsche Zeitung. A quantidade de césio radioativo 134 e 137 aumenta de 370 Bq/Kg, nos produtos lácteos, e 600 Bq/kg, nos outros alimentos, para 1000 e 1250 Bq/kg, respetivamente. Para fundamentar a sua decisão, a comissão tirou dos arquivos uma diretiva de 1987 sobre a proteção sanitária em caso de acidente nuclear, votado após o acidente de Chernobyl. Se os especialistas concordam que não há diferença para a saúde entre 370 e 1000 Bq/kg, os consumidores mostram-se inquietos, observa o diário da Baviera. “Com a entrada em vigor da diretiva, foi declarado o estado de emergência nuclear na Europa”, declarou um responsável da Foodwatch. Esta associação de consumidores está em campanha para a proibição da importação de alimentos do Japão, que representa 0,1% das importações europeias. “Uma vez não são vezes. Bruxelas, acusada de ser lenta a reagir, vê-se criticada por agir demasiado rápido”, comenta o jornal.

É uma organização jornalística, uma empresa, uma associação ou uma fundação? Consulte os nossos serviços editoriais e de tradução por medida.

Apoie o jornalismo europeu independente.

A democracia europeia precisa de meios de comunicação social independentes. O Voxeurop precisa de si. Junte-se à nossa comunidade!

Sobre o mesmo tópico