Crise da dívida

Berlim com receio do custo dos resgates

Publicado em 13 Abril 2011 às 09:11

Cover

A Alemanha começa a ter dúvidas quanto à sua participação nos planos de resgate da zona euro. “O âmbito da autorização é imprevisível”,titula oHandelsblatt citando um relatório de especialistas do Bundestag. O diário económico revela que este estudo elaborado por juristas do Parlamento alemão alerta para os custos ocultos do Mecanismo Europeu de Estabilidade (MEE) que deverá entrar em vigor em 2013.

Este fundo, dotado de 500 mil milhões de euros, deverá ser financiado pelos Estados-membros que darão, também, garantias financeiras em caso de dificuldades de pagamento de alguns deles. Com esta garantia, sublinham os especialistas, “põe-se em marcha um processo no fim do qual a soma a pagar pode ser muito mais elevada, sem que o Parlamento possa exercer uma influência decisiva”. E, feitas as contas, escreve ainda o Handelsblatt, ao pôr em perigo a estabilidade monetária, a Alemanha ficaria numa situação que contrariará a sua própria Constituição. Para contrariar esse risco, revela ainda o jornal, o Tribunal de Contas da União considera que o Parlamento deve determinar a natureza e o montante da contribuição alemã para o MEE.

É uma organização jornalística, uma empresa, uma associação ou uma fundação? Consulte os nossos serviços editoriais e de tradução por medida.

Apoie o jornalismo europeu independente.

A democracia europeia precisa de meios de comunicação social independentes. O Voxeurop precisa de si. Junte-se à nossa comunidade!

Sobre o mesmo tópico