Franceses vão trabalhar tanto como os outros europeus

Publicado em 26 Maio 2010 às 12:22

Cover

"Há uma palavra que deve ser banida do debate sobre a reforma aos 60 anos: tabu", porque identifica "os que defendem o progresso social com uma tribo primitiva que se agita em torno de um ídolo arcaico", escreve o Libération. Numa altura em que o Governo encetou negociações com os sindicatos para a revisão das reformas, o jornal vai buscar as palavras do ministro do Trabalho, Éric Woerth, que defendeu de que é necessário "actuar" no que toca à idade de acesso à reforma, fixada nos 60 anos desde 1983. O diário de esquerda considera que um aumento deste limite "atingirá, antes de mais, os operários e os empregados que, ainda hoje, vivem menos tempo do que os demais". O seu congénere conservador, Le Figaro, recorda que, dentro da UE, França tem a mais baixa idade legal para a passagem à reforma. Na Suécia e na Alemanha, por exemplo, está fixada nos 67 anos.

É uma organização jornalística, uma empresa, uma associação ou uma fundação? Consulte os nossos serviços editoriais e de tradução por medida.

Apoie o jornalismo europeu independente.

A democracia europeia precisa de meios de comunicação social independentes. O Voxeurop precisa de si. Junte-se à nossa comunidade!

Sobre o mesmo tópico