“Greve da fome prolonga-se”

Publicado em 7 Maio 2013 às 09:56

Cover

Sessenta pessoas que pediram asilo e estão detidas na prisão de Roterdão recusam comer e beber desde 6 de maio, em sinal de protesto contra “a prisão desumana de refugiados”.
Há uma semana, 20 pessoas que pediam asilo, detidas num centro de Schipol entraram igualmente em greve de fome. Dez dele continuam a recusar alimentar-se.
A principal razão deste protesto reside na diferença de tratamento das pessoas que pedem asilo segundo as condições em que chegam ao país. Os que chegam de avião são presos, por vezes durante mais de seis meses, enquanto os que chegam através das fronteiras terrestres não.
O ACNUR e a organização de defesa dos refugiados VluchtelingenWerk denunciam as condições de detenção e de tratamento dos refugiados em Schipol, mais severas do que o permitido pela legislação internacional.

É uma organização jornalística, uma empresa, uma associação ou uma fundação? Consulte os nossos serviços editoriais e de tradução por medida.

Apoie o jornalismo europeu independente.

A democracia europeia precisa de meios de comunicação social independentes. O Voxeurop precisa de si. Junte-se à nossa comunidade!

Sobre o mesmo tópico