Segurança

Jihadistas usam redes de tráfico de pessoas para regressar à Europa

Publicado em 12 Fevereiro 2015 às 12:45

As máfias de tráfico humano podem estar a utilizar a Espanha como plataforma para ajudar os jihadistas europeus provenientes da Síria a regressar aos seus países com passaportes e identidades falsas, informa o El País. Esta é a principal conclusão de um relatório policial especial da política espanhola, elaborado no final de 2014, antes dos ataques ao Charlie Hebdo, sobre a luta contra o terrorismo jihadista. O relatório destaca que os benefícios económicos para estas máfias são incomparavelmente superiores do que os relacionados com o tráfico de drogas e suspeita-se que a maioria destes benefícios estejam a ser utilizados para financiar o Estado Islâmico.
A maior parte dos jihadistas utiliza três rotas para entrar na Europa. A primeira é a rota africana, que chega a Melilha, um enclave espanhol no norte de África. A segunda é a rota da América do Sul, que começa na Turquia e Grécia e termina em Espanha, através da Venezuela ou do Brasil. A terceira rota termina no Reino Unido, mas também passa por países europeus. Tal como alerta o diário,

trata-se de uma dupla ameaça: a proliferação das máfias de tráfico de pessoas perante a debandada de civis de zonas de conflito e a entrada de elementos terroristas e ex-combatentes europeus que regressam à Europa utilizando as mesmas redes.

É uma organização jornalística, uma empresa, uma associação ou uma fundação? Consulte os nossos serviços editoriais e de tradução por medida.

Apoie o jornalismo europeu independente.

A democracia europeia precisa de meios de comunicação social independentes. O Voxeurop precisa de si. Junte-se à nossa comunidade!

Sobre o mesmo tópico