Polacos continuam à procura de melhores empregos no estrangeiro

Publicado em 26 Setembro 2012 às 10:39

Cover

“Saem do país e não tencionam voltar”, titula o Gazeta Wyborcza, relativamente ao número cada vez maior de polacos que abandonam o país em busca de melhores empregos. Só em 2011, emigraram mais 60 mil pessoas para o Reino Unido, Alemanha e Noruega, do que no ano anterior. O diário de Varsóvia realça que

o número de emigrantes aumentou pela primeira vez desde 2007. São atualmente 2,6 milhões. […] A emigração aumentou apesar do crescimento económico na Polónia ter atingido os 4% do PIB.

Uma reviravolta inesperada tendo em conta o facto de que, após a primeira onda da crise ter atingido a Europa em 2007-2008, muitos polacos (cerca de 1,1 milhão de acordo com certas estimativas) foram obrigados a regressar ao país. Alguns economistas chegaram mesmo a afirmar “o fim da emigração”. Mas não é bem este o caso. Atraídos por salários mais elevados, os polacos continuam a optar por trabalhar no estrangeiro. Segundo o Banco Central da Polónia (NBP), o emigrante polaco ganha em média entre €2000 a €2200, enquanto na Polónia o seu ordenado não ultrapassa os 2000 zlotis (€500).

Além de não voltarem para o país, começam a levar as suas famílias para fora da Polónia.

É uma organização jornalística, uma empresa, uma associação ou uma fundação? Consulte os nossos serviços editoriais e de tradução por medida.

Apoie o jornalismo europeu independente.

A democracia europeia precisa de meios de comunicação social independentes. O Voxeurop precisa de si. Junte-se à nossa comunidade!

Sobre o mesmo tópico