“Salvar BES custa 4,9 mil milhões”

Publicado em 4 Agosto 2014 às 13:07

Cover

O Banco Central de Portugal anunciou no dia 3 de agosto as medidas de resgate do Banco Espírito Santo. O BES é “acusado de realizar operações financeiras fraudulentas”, realça o Jornal de Notícias, e tem estado envolvido em vários escândalos, ao ponto de as suas perdas entre janeiro e julho de 2014 terem alcançado os 3,58 mil milhões de euros, enquanto as suas ações caíram 73% na semana passada.
O BES será dividido em duas entidades: o Novo Banco, que reúne os ativos bons e no qual o Estado injetará 4,4 mil milhões de euros de fundos públicos avançados pela Troika (BCE, UE, FMI), mais 380 milhões de euros do Fundo de Resolução Bancário português e 120 milhões provenientes de bancos privados; e o BES, um “banco mau” que reúne todos os ativos tóxicos, explica ainda o diário.

É uma organização jornalística, uma empresa, uma associação ou uma fundação? Consulte os nossos serviços editoriais e de tradução por medida.

Apoie o jornalismo europeu independente.

A democracia europeia precisa de meios de comunicação social independentes. O Voxeurop precisa de si. Junte-se à nossa comunidade!

Sobre o mesmo tópico