A fronteira mais mortífera do mundo

Publicado em 17 Abril 2015 às 14:00

No dia 17 de abril, a polícia italiana deteve 15 imigrantes africanos suspeitos de atirarem cerca de uma dezena de cristãos ao mar durante a sua travessia do Mediterrâneo, informa o Times of Malta. Segundo o diário,

cerca de 450 pessoas terão morrido esta semana, depois de os imigrantes resgatados para o porto siciliano de Trapani terem afirmado, no dia 17 de abril, que 41 pessoas que viajavam com eles se afogaram durante a viagem. Cerca de 400 morreram no início desta semana, depois de os passageiros se terem amontoado num lado do barco, fazendo com que este virasse, revelaram os sobreviventes.
Segundo os valores do ACNUR,
até à data, em 2015, mais de 35 mil refugiados e imigrantes atravessaram o Mediterrâneo (incluindo 23 500 que desembarcaram em Itália e mais de 12 mil na Grécia). Ao mesmo tempo, cerca de 950 pessoas foram dadas como mortas ou desaparecidas em alto mar.

É uma organização jornalística, uma empresa, uma associação ou uma fundação? Consulte os nossos serviços editoriais e de tradução por medida.

Apoie o jornalismo europeu independente.

A democracia europeia precisa de meios de comunicação social independentes. O Voxeurop precisa de si. Junte-se à nossa comunidade!

Sobre o mesmo tópico