“Em nenhuma outra parte os estrangeiros trabalham tão pouco”

Publicado em 29 Outubro 2013 às 11:08

Cover

Apenas dois terços (62%) dos imigrantes não-europeus que vivem na Bélgica tinham emprego em 2012, escreve De Standaard, citando números do Eurostat analisados pelo diário.

Esta proporção manifestamente inferior à da média europeia (73%) explica-se, sobretudo, pelo declínio da indústria do país e pelas exigências linguísticas dos empregadores belgas. Mas os imigrantes também sofrem uma “discriminação persistente”, defende um especialista citado pelo jornal:

Os empregadores têm o preconceito de que as pessoas oriundas da imigração são empregados menos bons. Consequentemente, ocupam os empregos que as pessoas não-imigrantes não querem, como o comércio e os trabalhos domésticos. Nos países onde há mais empregos “maus” desse género, os imigrantes têm uma taxa de atividade mais elevada.

É uma organização jornalística, uma empresa, uma associação ou uma fundação? Consulte os nossos serviços editoriais e de tradução por medida.

Apoie o jornalismo europeu independente.

A democracia europeia precisa de meios de comunicação social independentes. O Voxeurop precisa de si. Junte-se à nossa comunidade!

Sobre o mesmo tópico