“N-VA transforma Bélgica em casa mortuária”

Publicado em 31 Outubro 2013 às 10:23

Cover

“Não restará quase nada da Bélgica”, avisa o jornal De Standaard um dia depois da apresentação, a 30 de outubro, do projeto de nova “confederação belga” imaginada por Bart De Wever, líder do partido nacionalista N-VA (Aliança Neoflamenga).
Segundo esse texto, a Flandres e a Valónia tornar-se-iam Estados federados, detendo “a maior parte dos poderes”, escreve o diário, que sublinha que “deixaria de existir um Governo belga como o atual”.
O cargo de primeiro-ministro seria suprimido. O Executivo seria constituído apenas por seis ministros e um deles presidiria e só se ocuparia “da defesa, da política de asilo e da atribuição da nacionalidade belga. [...] Os seus únicos rendimentos viriam do IVA e de alguns impostos indiretos sobre produtos de consumo”. Bruxelas beneficiaria de um estatuto regional especial e os seus habitantes teriam de escolher entre os sistemas de segurança social e fiscais flamengo ou valão. De Standaard afirma que:

o argumento mais forte para uma reforma radical de Bruxelas é que, atualmente, [a gestão da capital] funciona muitíssimo mal. O poder está fragmentado, o desemprego é grande, a pobreza é estrutural. Os factos são incontestáveis. Mas, no entanto, não é por isso que uma gestão bicomunitária seria a solução milagrosa.

É uma organização jornalística, uma empresa, uma associação ou uma fundação? Consulte os nossos serviços editoriais e de tradução por medida.

Apoie o jornalismo europeu independente.

A democracia europeia precisa de meios de comunicação social independentes. O Voxeurop precisa de si. Junte-se à nossa comunidade!

Sobre o mesmo tópico