Roménia-Reino Unido

O grande mal-entendido

Publicado em 23 Abril 2013 às 14:56

Cover

“Londres-Bucareste – o filme dos mal-entendidos”, é o título de primeira página do Dilema Veche, que consagra um dossiê à complicada relação entre a Roménia e o Reino Unido, recentemente marcada pela polémica sobre o medo que muitos britânicos têm de verem uma onda de romenos (e búlgaros) atingir o seu país a partir de 1 de janeiro de 2014, data em que terminam as restrições ao mercado de trabalho.

O semanário não se esquece de mencionar o euroceticismo britânico, “uma corrente que não pode ser negligenciada” e que se alimenta do princípio segundo o qual “quando qualquer coisa está mal no nosso país, a culpa é da UE”.

Sobre este assunto, o Dilema Veche escreve que

Newsletter em português

a cada escândalo, como o da carne de cavalo, a difamação de romenos e búlgaros leva, cada vez mais, a opinião pública britânica a ressentir-se da sua pertença à UE.

O semanário descreve a perceção errónea de que os romenos são frequentemente vítimas:

Roubamos-lhes os empregos, as carteiras, às vezes até lhes ocupamos as casas, abusamos do sistema de subsídios sociais e construímos “castelos de ouro”. O que fizemos nós aos ingleses para que nos achem culpados de tudo isto? Têm razões para nos humilharem?

Contrariamente ao que afirmam os partidários do encerramento do Reino Unido aos imigrantes dos Cárpatos, uma sondagem recente da BBC mostra uma vez mais que não haverá fluxos incontroláveis de imigrantes romenos e búlgaros.

O Gândul, sublinha ainda que o fim das restrições de acesso ao mercado de trabalho terá um impacto reduzido sobre as pessoas que querem ir trabalhar para o Reino Unido: neste momento, apenas 4,6% dos romenos e 9,3% dos búlgaros escolheriam a Grã-Bretanha como destino. A maioria dos romenos dizem-se dispostos a deixarem o seu país se já tiverem um contrato de trabalho no estrangeiro e as suas preferências vão, sobretudo, para a Alemanha e para a Itália.

Quanto ao perfil dos que querem ir trabalhar para o Reino Unido, a sondagem mostra que são qualificados e têm títulos universitários.

É uma organização jornalística, uma empresa, uma associação ou uma fundação? Consulte os nossos serviços editoriais e de tradução por medida.

Apoie o jornalismo europeu independente.

A democracia europeia precisa de meios de comunicação social independentes. O Voxeurop precisa de si. Junte-se à nossa comunidade!

Sobre o mesmo tópico